Diário do Jogador: Minotaurus IIII

DEIXANDO SUA FAMÍLIA A 1.861 KM PARA SE TORNAR UM SOLDADO AIRSOFTER

1
3263

DEIXANDO SUA FAMÍLIA A 1.861 KM PARA SE TORNAR UM SOLDADO AIRSOFTER

Bom, para começar o nosso esporte é mágico, pois transforma homens comuns em verdadeiros guerreiros, pois, ele é exposto a condições de campo e de ações que ele terá de superar.

Dos dias 29 de julho a 01 de agosto, fui um desses guerreiros. Deixei minha família no Rio de Janeiro e parti rumo as Minas do Camaquã, em Caçapava do Sul, interior do Rio Grande do Sul. Um voo de 2 horas com alguns irmãos cariocas que me acompanharam. Na chegada ao aeroporto de Porto de Alegre fomos recebidos pelos gaúchos e pela galera de Fortaleza – Ceará, que já estava em prontidão. Nesse momento começou a Minotaurus 2016.

minasdocamaqua
Minas do Camaquã, Caçapava do Sul – RS

Encontros e reencontros marcaram esse evento. Para alguns foi uma celebração, um ano de espera por esse momento. E digo senhores, é uma experiência magnífica. Durante o fim da tarde, outros jogadores e equipes foram desembarcando no aeroporto e incorporando ao grupo de vários estados, entre eles Bahia, Maranhão e Santa Catarina. Após a chegada de todos que faziam parte da caravana, equipamentos guardados e cintos conectados, seguimos para o destino que estava a 301 km. Comboio na estrada, os passageiros dos carros batendo papo e interagindo pelos rádios, fazendo piada, sacaneando e acima de tudo, sendo uma grande família onde todos se preocupavam em auxiliar e dar suporte ao próximo, como toda família deve fazer.

Chegando ao nosso destino, nos juntamos aos 400 homens de vários locais do Brasil e de outros países. Alguns alugaram casas no vilarejo, outros alojamentos nas escolas e as tradicionais barracas também estavam por lá, mesmo com o frio, mas os jogadores sempre com um sorriso no rosto e o abraço com vários “tapas calorosos nas costas” de boas-vindas para recepcionar os que chegavam da estrada ou os que já passavam frio por lá. Foram muitas risadas, as histórias que já tinham ocorrido durante o trajeto já eram motivos de sacanear os outros, tirar sarro, pois somos pessoas normais que buscam nesse esporte um pouco de adrenalina, de experiências onde a equipe está em primeiro lugar e sobre tudo, as amizades verdadeiras. E, amigos, para você se tornar um jogador, tem que aprender que não sobreviverá no jogo sozinho por muito tempo, vai descobrir que sempre precisará de um irmão por perto.

Bem, local reconhecido, equipamentos ajustados, já são 3 horas da manhã e é hora de dormir. E como dormir? Se não sabemos o que nos espera já na madrugada, se a cabeça já está pensando em qual serão os desafios pela frente, se não se sabe ao certo o que espera ao amanhecer. O dia amanheceu e, ao sair na rua, já não vi os mesmos homens que chegaram, vi jogadores, equipes se preparando, postura de soldado pronto sua missão. Prontos para o que estava por vir, independente da adversidade.

Na chegada ao Portão da Mina, entrada do teatro de operações, onde seria a Minotaurus IIII, encontramos nossos “inimigos” ostentando seus trajes de rebeldes, suas armas e bandeiras. Ali a adrenalina já começou a subir, batimentos cardíacos aceleram e já o sangue já está a mil pelo corpo, fazendo desaparecer qualquer cansaço de viagem, noite mal dormida ou fadiga de uma semana de trabalho.

Lembro vocês! Tudo não passa de uma simulação! Mas quando você lidera um pelotão, no meu caso, o Regimento 21, e se depara com muitos rebeldes em uma fronteira fictícia gritando “Vai morrer!”, pulando, incorporando o personagem, sua boca seca e tua transpiração aumenta, mostrando a você que o jogo começou e que tem que estar preparado para tudo, até um carro bomba fictício que surgiu em meio a multidão.

Tiros, gritos, explosões, correria… Mostram o quanto é levado a serio nosso dia de “soldado”, homens e mulheres levando a sério a situação do combate. E o melhor, combatendo com bravura de ambos os lados, e com um ingrediente a mais, A HONRA. Subir montanha, andar de helicóptero, mostra o engajamento de todos com o cenário. Um a um, cada objetivo de ambos os lados foram sendo cumpridos. Um dia inteiro de combate com cenas que te levam a bem próximo de um combate real e te mostram o que leva um homem deixar sua familia a 1.861 km para se tornar um soldado airsofter.

Ao cair da noite com o encerramento das atividades do dia, alguns jogadores já se encontravam ao redor de um churrasco de ovelha para poder conversar sobre os fatos diurnos, mas não se importando se é rebelde ou militar, mas sim, homens de honra que se uniram para viver uma grande história com muita adrenalina. Um fato nesse churrasco que me marcou foi encontrar um irmão da Bahia, do time ANAT, que estava jogando como rebelde na função de sniper de primeira linha. Naquele dia, ele estava eliminando todos os meus comandados que tentavam passar por ele na curva da montanha. Um a um ele abatia, com precisão. Até que um dado momento eu o avistei e consegui alvejá-lo. Depois de muito “pelearmos”, conseguimos ir ao nosso destino. E no churrasco, esse IRMÃO, veio até mim e me entregou seu PATCH, o escudo do seu time, como forma de reconhecimento entre jogadores, entre guerreiros. Isso ficou marcado pra mim nessa operação.

Aí me perguntam o porquê disso tudo? Deixar família, casa, trabalho, viajar quase 2.000 km pra passar sede, comer poeira, passar frio, passar por espinhos, não dormir direito. Simples a resposta. Por homens como BATERA, PSYCHO, CUSCO, THADEU, PELOPES, LANTERNA VERDE, THIAGO, LEOPOLDINO ,GUILHERME , DOUGLAS, GLAUCIO, VAQUEIRO, MÃO DE FADA, SAMUCA (CARA DE JAVALI), ALMADA, ANGELINI, DHIOBAH, PONTES, ROMA, MAICON, NELSINHO, e tanto outros que eu não possa listar aqui, pois serão mais de 400! E se tudo der certo, ano quem serão mais de 500!

Que venha 2017 e com ele novos encontros e reencontros!

gauchodmr
Gaúcho, capitão da SBAT-RJ e Comandante do Regimento 21 da Minotaurus IIII.

1 COMENTÁRIO

  1. Show…..

    SOBRE A MINOTAURUS 4 2016

    Expressar de uma maneira, que encontrei para falar um pouco do que vivemos de 28/07 a 01/08 no Rio Grande do Sul.

    Na saida, a pertubação do CUSCO MIOJO, em querer ir a todo instante no banheiro, era no aeroporto e dentro da aeronave, tudo bem que ele estava nervoso, mais parecia que tinha formiga no rabo e não parava quieto.

    Na chegada ao Rio Grande do Sul, fomos visitar nossos amigos da EAGLE PATCHS Tiago Wagner Dos Santos e Johann Wittee onde tambem encontramos com Francisco Angelini, muita risada.

    Após fomos a Loja da Carabina de nosso amigo Andre Becker onde tivemos um atendimento de primeira, mesma na correria pois eles estavam se organizando para ir para Caçapava, foi show. estava me esqueçendo nosso amigo cabeça de javali Samuca Neto, foi ao nosso encontro no supermercado para nos receber em Canoas.

    De lá fomos a casa de meu amigo, irmão Rodrigo Kremer onde nos ofereceu uma churrascada de primeira, povo todo do Ceará se ajuntando na churrasqueira pq estava um frio bom, onde demos otimas risadas.

    No outro dia fomos recepcionar nossos amigos do Rio de janeiro no aeroporto de Porto Alegre pessoal da SBAT e SHADON, e foi ao nosso encontro pessoal do TUBARÃO AIRSOFT Alex Pelopes, sem palavras todos amigos tops.

    E pegamos estrada para Caçapava do sul, na chegada eu já conseguia ver que seria um dos melhores games que já fui, pois o companheirismo reinava, todos nos recebendo hiper bem, pessoal da AIRSOFTACTION MAGAZINE dando todo apoio e fazendo várias materias sobre o evento e desde moradores, mercadinho etc, poxa um vilarejo com 200 moradores e a Cidade absorveu mais 450 jogadores, cedendo suas casas etc.

    Momento nas Minas de Camacuã e mágico amigos, campo é mágico, logo na entrada do game uma surpresa do pessoal inimigos com uma manifestação, que fazia vc acreditar que estava em ambiente hostil, gritos de guerra, ameaças etc, ficara na memoria.

    Por fim estes dias, foram mágicos, a manifestação de amizade, brincadeiras, apois foi top, cada qual deu seu máximo de companherismo, churrasco oferecido pelo Maurício Lampert da FTNA foi top Vini deu aula de churrasqueiro e atenção, como ouvi no churras, nosso amigo Vini so tem tamanho (ele é enorme) mais chora em filme, uma mãe a todos pelo seu jeito parceiro e companheiro, abraçando a todos e um otimo churrasco.

    Meu amigo Junior B Atera disse uma coisa que é verdade, a sensação é que conhecemos a todos a um tempão.

    Por fim obrigado as Amigos da Minotaurus aos demais pelos dias que passamos nesta terra, pessoal da TAURAS pelo evento, será eternizado na minha memória e acredito que de muitos outros.

    Até 2017 – Minotaurus V estaremos ae de volta revendo os amigos.

    Thadeu Abdullah

DEIXE UMA RESPOSTA

Informe o Código para Comentar *