Aspectos e colaborações sobre as alterações no R-105

Pela primeira vez, grandes entidades ligadas ao airsoft nacional estiveram reunidas para a elaboração de atualizações na R - 105

13
9793

Em cumprimento a determinação da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados – DFPC, que buscou a participação dos diversos setores da sociedade civil que utilização e trabalham com produtos controlados, a Revista Airsoft Action Magazine, Federação Paulista de Airsoft- FPDA , Força Tarefa Nacional de Airsoft – FTNA e a Federação Desportiva Cearense de Airsoft – FDCA elaboraram um documento em conjunto com o objetivo de auxiliar na atualização do Decreto n°3.665, de 20 de novembro de 2000 (antigo R-105).

Entrega do documento em SP por Roy Rhino
Entrega do documento em SP por Roy Rhino

O documento construído é fundamental para o processo de reconhecimento dos Esportes de Ação, implementando uma política pública de fomento ao desporto, com a criação de regras e direitos a toda comunidade esportiva, sendo encaminhado o documento para a Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados.

Reconhecemos que o tempo estipulado para o envio de colaborações é muito curto, em virtude da complexidade do documento, uma vez que, deverá prever diferentes aspectos polêmicos do desporto, entretanto a oportunidade ímpar demonstrar a transparência do setor como uma filosofia de trabalho que esperamos ser ampliada a outros setores que desenvolvem a penosa tarefa de fiscalizar a temática.

Abaixo disponibilizamos a versão final do documento elaborado pela comissão com a finalidade de dar transparência aos trabalhos de elaboração das propostas enviadas.

Clique aqui para ler o documento.

Deixe aqui nos comentários sua opinião sobre o documento.

COMPARTILHE
Artigo anteriorComo Ajustar o Hop Up – Vídeo
Próximo artigoGatilho Sniper Airsoft Nacional
Advogado, Graduado em Direito pela Universidade Santa Úrsula (USU-RJ), Especialista em Direito da Propriedade Intelectual pela Universidade Candido Mendes (UCAM-RJ), Especialista em Direito Penal e Processo Penal pela Universidade Candido Mendes (UCAM-RJ), Membro da Comissão de Direito Desportivo da OAB/RJ (CDD).

13 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde, achei interessante e com necessidade de ser aprofundado o debate para que não ocorra novamente as incongruências que existiam no anterior, como no caso da luneta que havia de uso restrito e permitido, mas ambas eram classificadas como categoria 1, o que na prática acabava tendo a necessidade de CR e GT para as duas. Outro ponto é a exigência de CR para as armas à gás que não passam de 500 FPS e armas de pressão à mola e munição de chumbo com quase 1000 de FPS não ser…
    Vamos aguardar para ver se será aberto o debate.

    • Olá Rodrigo, inicialmente obrigado pela mensagem.
      A possibilidade de colaborar com a construção do R-105 foi uma oportunidade única. Espero que nossas sugestões sejam devidamente avaliadas.

      • Iniciei um estudo, mas o tempo foi muito curto e não pude concluir a minuta, mas achei interessante as propostas, vamos esperar que sejam acatadas e liberadas algumas questões e que os PCE’s tenham uma classificação mais clara.
        Agora é aguardar.
        Muito boa a iniciativa.

  2. Primeiramente acho que deveria, Criar-se uma Federação em cada estado do Brasil. Assim essas federações criariam junto com o exércitos leis do Airsoft sobre punições, registro da arma do cidadão com uma numeração vinculado aos documentos do próprio. Depois uma calóga sobre a venda do mesmo para transferência para o documento do comprador. Sobre lunetas o assunto é muito vago, e sobre armas de chumbinho também.. Facilitar a retirada do CR se o cidadão nunca possuir um registro criminal contra ele… Tem muita coisa…

    • Olá Manuel Henrique, inicialmente obrigado pela mensagem.
      Sem dúvida existe a necessidade dos próprios atletas se organizarem, através, por exemplo, de federações, entretanto, é necessário que os próprios trabalhem nesse sentido, atualmente encontramos diversas opiniões sobre o assunto, mais poucas ações nesse sentido.
      Infelizmente só tenho conhecimento de duas federações no país, localizadas no Ceará e em São Paulo, quem sabe num futuro próximo não sejam criadas outras.

  3. O ideal seria a extinção do CR para arma a gás e menos burocracia para emissão de CII,com certeza seria um salto enorme para o crescimento do esporte e uma das formas de acabar com o comércio clandestino de airsoft.

    • Olá Eduardo,
      Primeiro obrigado pela mensagem.
      Igualmente, sem dúvida o ideal é o mínimo de burocracia possível, vamos torcer para o novo decreto atender os anseios dos atletas.

  4. Boa noite, também a liberação de replicas de Reddot , para importação, e não necessitar de CR para armas a gás , ou CR menos burocratico, menos burocracia e um cadastro Nacional de atletas

    • Olá Jailson, obrigado pela mensagem.
      As sugestões já foram enviadas, entretanto é provável que outros tenham feito a sugestão indicada pelo amigo.
      Quanto ao cadastro, acredito ser competência das entidades civis.
      Obrigado.

  5. Em minha opinião, não permitir que pessoa física tenha o DIREITO de importar sua airsoft mediante autorização da DFPC é um verdadeiro absurdo. É lógico que as empresas vão adorar. Da minha parte, vou continuar brigando. Compra no país quem quiser. Agora, se quiser importar, como eu já importei, que assim o faça.

  6. Alguma posição?! Quero sair da ilegalidade de não ter CR… Lembrando que nem todo mundo adquire “Armas” de Airsoft com intuito de JOGAR, a muitas pessoas igual a mim que são amantes de militaria e apenas colecionam, e é a unica forma nesse fim de mundo de chegar o mais perto de uma arma real utilizada por militares… Nesse caso, acho um erro vocês classificarem ou generalizarem que TODO mundo que tem um equipamento desse em mãos Automaticamente é um player de airsoft. Obrigado

    • Lucas, GBB é por obrigatoriedade do EXÉRCITO e não nossa que se tenha CR, minha sugestão se você quer somente ter coleção é adquirir spring ou elétricas que somente precisa de nota fiscal e ser maior de 18 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Informe o Código para Comentar *